Um monumento à estupidez

Em lúcida entrevista ao UOL, em 13/11/2018, o Senador Cristóvam Buarque desabafou: “já se fez escola sem partido na União Soviética e na Alemanha nazista, por exemplo. Não deu certo. A gente tem de ter escola com todos os partidos, uma escola com pluralidade”.

Apesar de tantos problemas estruturais na Educação brasileira o tema Escola Sem Partido não sai das discussões oficiais. Perde-se o tempo com discussões morais e obscurantistas; muitos querem avançar na contramão da história. Escola sem partido é escola de um partido único, ou seja, do mesmo governo.

Hitler levou essas questões às últimas consequências, inclusive com a destruição de toda a literatura inconveniente ao regime. Em maio de 1933, montanhas de livros foram queimadas em praças públicas.

Mas a Alemanha, moderna e aberta, virou a página e se preocupa em manter presente a sua memória, com uma visão prospectiva, como único caminho em direção ao futuro civilizado.

Na Bebelplatz, em Berlim, foi colocado um monumento composto de livros gigantes, de autores importantes para a cultura alemã.

Eis um belo exemplo para a história jamais ser apagada! Um simbólico monumento contra a ignorância e a estupidez!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *